Etiqueta: Luta de classes

Round 6 – A distopia do capital e a saúde mental impossível

Por Karina Oliveira Martins* A série mostra estes laços de solidariedade, mas também mostra os limites colocados pelo capital na manutenção cotidiana de tais laços, como mantê-los firmes e fortes em uma realidade em que é eu ou o outro? Ao mesmo tempo que se impõe uma interdependência dos outros para sobrevivermos, que é demandado

Leia mais »

Sobre Georges Danton

Por François-Alphonse Aulard. Traduzido por Asturig Emil von München, via Scientific Socialism “Ora, a insurreição é uma arte, exatamente como a guerra ou qualquer outro tipo de arte. A insurreição submete-se a certas regras cuja inobservância conduz à ruína da parte que é por ela responsável. Essas regras – conclusões lógicas, extraídas da essência das partes e das

Leia mais »

“Para mim, a Palestina é o paraíso”

Por Leila Khaled, via Crônica Palestina, traduzido por Gercyane Mylena Entrevista exclusiva com Leila Khaled, gravada numa quinta-feira, 3 de abril de 2014. Frank Barat para LMADO: Como está Leila? O que faz atualmente em Amã? Leila Khaled: Estou bem desde que eu faça parte da luta pela liberdade, pelo nosso direito de retornar e

Leia mais »

Sobre monumentos, apagamento da memória e resgate da nossa história

Por Luis Barbosa e Rafael Ayres A estátua de Borba Gato, localizada na zona sul de São Paulo, foi queimada em uma ação do movimento Revolução Periférica. E com essa ação, mais uma vez se reabre a a discussão sobre a presença desses monumentos nos espaços públicos. E exigem que nós, comunistas, reflitamos e nos posicionemos

Leia mais »

Conferência sobre a ditadura do proletariado em Barcelona

Por Louis Althusser, via Revista Revue, traduzido por Rosemary Grund “O comunismo é a nossa única estratégia […], não somente é ele quem comanda hoje, mas ele começa hoje. Ou melhor: já começou.” Com essas palavras, proferidas em 1976, Louis Althusser defendia a ditadura do proletariado. O XXII Congresso do PCF acabava de abandonar o

Leia mais »

Nordestino, o povo que virou suco: ensaio sobre o nordeste e o preconceito regional como expressão do ódio de classe no brasil

Por Paulo Wescley Maia Pinheiro* “Enquanto o racismo estrutural impõe a desigualdade sobre os negros no Nordeste, o (des)colorismo vai reproduzindo o falseamento de que não haveria esse fenômeno em muitas partes da região. Na realidade, muitos dos negros nordestinos estão marginalizados nos espaços, invisibilizados na ideia tortuosa da miscigenação brasileira, no mito da democracia

Leia mais »